URIDU Saúde Família Trabalho

Posso ter uma relação sexual satisfatória?

Muitas pessoas acreditam que as mulheres com deficiência não podem, ou não devem, ter sensações sexuais. Não se espera que elas queiram ter relacionamentos íntimos e amorosos, ou que queiram ter filhos. Mas as mulheres com deficiência têm desejos de intimidade e sexo, como qualquer outra pessoa.

Se você nasceu com uma deficiência ou adquiriu uma deficiência ainda jovem, talvez não acredite que tenha apelo sexual. Muitas vezes, a melhor maneira de aprender a mudar algumas das opiniões que você tem sobre si mesma, é conversando com outras mulheres com deficiência sobre os seus próprios medos e maneiras pelas quais elas os superaram. Mas lembre-se de ser paciente. Leva tempo para mudar as ideias que você teve durante muitos anos.

Se a sua deficiência é recente, pode ser que já esteja acostumada a pensar sobre si mesma como um ser sexual. Mas pode não perceber que ainda é possível desfrutar do sexo. Talvez pense que perdeu o seu apelo sexual e, agora, sinta-se triste pois o sexo pode ser diferente.

Seria benéfico para as mulheres com deficiência que tivessem as mesmas informações sobre sexualidade que as mulheres que não têm deficiência. Tente falar sobre sexualidade com mulheres que não têm deficiência e também com professores da sua confiança, profissionais de saúde e com outras mulheres com deficiência.

Você e seu parceiro terão de encontrar maneiras de agradar um ao outro. Por exemplo, se você não tem sensação nas mãos ou nos genitais, durante o sexo pode encontrar partes do corpo que tenham sensação sexual, tais como, orelha, seio ou pescoço. Isso também pode ajudar se a sua deficiência tornou o sexo vaginal desconfortável. Você também pode tentar posições diferentes, como deitada de lado, ou sentar-se na borda de uma cadeira. Se você e seu parceiro puderem falar abertamente, uma relação sexual satisfatória poderá acontecer. Mas lembre-se que você não tem que se contentar com menos do que gostaria. Você não deve ter relações sexuais com alguém que não se importa com você.